“As músicas do Epica são cheias de informações”

Epic Metal Fest

As músicas do Epica são cheias de informações

Quando a Rock Meeting completou oito anos de existência, fizemos uma entrevista muito legal com a Simone Simons. E agora, na nossa edição especial nº 100, ela aparece novamente. Desta vez fala sobre o lançamento do Ep, da vinda da banda para o Brasil e de algumas curiosidades. Sabia que ela já esqueceu a letra da música? Não? Confira agora!

Por Charley Gima | Foto Clovis Roman

English version – Here

Passado alguns meses desde o lançamento de “Solace System”, como você se sente?

Simone Simons: Me sinto ótima! Fomos para o estúdio para gravarmos 18 músicas para o “Holographic Principle” e as músicas do “Solace System” são aquelas que não entraram no álbum. Ouvimos a opinião de alguns fãs depois deles ouvirem nossas músicas bônus e algumas que fazem parte do “Solace System” e assim decidimos lançar este EP.

Esta seria minha segunda pergunta, se as músicas do “Solace System” seriam “sobras” da época da gravação de “Holographic Principle” ou se seriam músicas compostas depois. Podemos então dizer que “Solace System” é uma continuação de “Holographic Principle”?

Sim, gravamos tudo na mesma época, no mesmo estúdio e com o mesmo produtor, deveriam entrar no “Holographic Principle”, mas não dava mais!

Por outro lado, com tantas músicas escritas, gravadas e disponíveis, você acha que hoje em dia seria mais difícil lançar um álbum duplo?

Acho que seria uma pena lançar um álbum duplo com tantas músicas boas de uma só vez. As músicas do Epica são cheias de informações, nunca havíamos lançado um EP antes e resolvemos fazer isto agora, após os shows do “Holographic Principle”. Os fãs adoraram!

O Epica já lançou sete álbuns, como vocês sabem o momento certo de lançar? É um feeling natural ou vocês têm um cronograma a ser seguido?

Sim, temos um cronograma a ser seguido, mas um diferencial do Epica é que temos cinco grandes compositores, todo mundo escreve na banda! Quando lançamos “The Quantum Enigma” tínhamos 25 músicas demo. Trabalhamos todas as músicas entre nós e o produtor, e escolhemos 18 músicas para gravar! Como você disse, praticamente a cada dois anos estamos gravando e lançando um novo trabalho. Neste meio tempo ainda fazemos nossas turnês, tem sido bem louco e trabalhoso para o Epica! rs

Epic Metal Fest

E com tantas músicas boas gravadas, como vocês fazem para escolher as músicas que entrarão nos álbuns? Parece ser uma tarefa bem difícil…

Todos da banda, mais o produtor, fazemos uma lista das músicas que mais gostamos, tendo em mente como o álbum irá soar, as ordens das músicas. O álbum tem que fluir naturalmente para manter nossos fãs, que estão escutando, satisfeitos. Trabalhamos algumas ordens diferentes das músicas pra ver como fica até chegarmos no resultado final. Fazemos audições com jornalistas e perguntamos quais músicas mais gostaram, isso nos ajuda a chegar no produto final. Precisamos ouvir opiniões de pessoas diferentes porque chega um momento que já ouvimos tanto as músicas que ficamos com uma relação de amor e ódio com elas, isso pode dificultar o processo de escolha das ordens das músicas.

Você ainda acha tempo para trabalhar com outros artistas, como você fez recentemente com Exit Eden e a banda holandesa Amanda Somerville. Como surgiram estes convites?

Foi através do meu empresário. As bandas entraram em contato com ele e eu decidi aceitar, aliás gostei muito do resultado final.

E foi difícil cantar uma música de Adele?

Não é o tipo de música para a minha voz, mas eu gosto da forma como ela canta, a música é linda e soa até um pouco mais clássico.

Epic Metal Fest

Temos um artista aqui no Brasil chamado Pablo Vittar, é uma Drag Queen, que já tocou no Rock in Rio com a Fergie, e ganhou o prêmio de melhor música do ano em um dos principais programas populares aqui do Brasil. Eu gostaria de saber a sua opinião sobre este tipo de artista, que é moldado por um produtor ou uma gravadora para estourar uma música e ficar super famoso, com uma carreira meteórica.

Eles devem ficar famosos muito rápido, mas também são esquecidos muito rápido. É muito trabalhoso conseguir montar uma base de fãs leais a você, o sucesso raramente vem da noite para o dia, é claro que às vezes isso funciona, mas o sucesso depende de uma longa estrada!

Podemos dizer que o sucesso às vezes não tem a ver com o talento?

É uma combinação de sorte, talento, trabalho duro, estar no local certo e na hora certa, ser dedicado, trabalhador e ser forte para aguentar a pressão.

O Epica já tocou a música tema de “Guerra Nas Estrelas” em um show aqui no Brasil, você pessoalmente tem vontade de tocar algum tema de filme ao vivo?

Já toquei algumas músicas de Natal, que eu gosto muito, acompanhada do teclado, foi bem legal! Tenho o sonho de poder gravar a trilha sonora de algum filme, espero que possa fazer um trabalho destes um dia.

Falando sobre a turnê, os fãs da América do Sul podem esperar por músicas do novo EP?

Sim, fizemos uma parte da turnê na Europa e tocamos “Fight Your Demons” e “Wheel Of Destiny”. Tocamos também “The Holographic Principle” que deu trabalho nos ensaios por ser uma música longa e complexa, mas é uma música ótima para se tocar ao vivo, muitos fãs nos pediam para tocá-la! Tenho certeza que tocaremos estas músicas aí no Brasil!

Epic Metal Fest

E pra você, é mais difícil tocar músicas novas ou as mais antigas?

Cada uma tem suas particularidades e dificuldades de serem tocadas ao vivo. As músicas novas precisam ser bem ensaiadas para você incorporá-las, então, às vezes, você precisa pensar um pouco mais sobre as estruturas, ou tipo, entrar atrasada e até mesmo esquecer as letras. Quanto as músicas antigas, a pegadinha está em você ficar muito confiante em saber tudo da música que às vezes pode acontecer de esquecer uma parte da letra. Já houve shows que tive que ir até o fundo do palco pra pedir para me “soprarem” a letra da música! rs

Já aconteceu isso de esquecer a letra mais de uma vez?

Sim, várias vezes! (rs) Converso sobre isso com as outras vocalistas e também acontece com elas, quando isso rola cantamos o verso da música que lembramos, cantamos o refrão ou até mesmo improvisamos apenas melodias vocais para não passar batido! (rs)

Você vai tocar em cidades que nunca estiveram antes como Fortaleza, Recife e Manaus. O que você espera dos seus fãs nestas cidades?

Conheço São Paulo e Rio, foram os shows mais quentes e calorosos que já fizemos! Até as paredes suavam! Nosso baterista quase desmaiou devido ao calor. Aprendi que não interessa o quão quente esteja lá fora, no show os fãs deixam tudo ainda mais quente! Tenho certeza de que teremos mais shows quentes, suados e com muitas carinhas felizes!

Uma última mensagem para os fãs do EPICA?

Bom dia (em português)! Estamos chegando no Brasil para oito shows em março, estamos super ansiosos para ver vocês, muito obrigada pelo seu apoio e nos vemos em março!

 

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.